Universo Divinal

Feng Shui

Ordene o espaço Evite amontoar objectos, desde livros a mobiliário, sobretudo quando permanecem intocados durante muito tempo, pois promovem a estagnação de energia. Esta regra é válida para todos os espaços onde se movimenta. Sabe aquela preguiça que sente todas as manhãs ao sair da cama? Deve-se, provavelmente, às pilhas de tralha que amontoa no quarto (em particular debaixo da cama) e que impedem a circulação de energia, prejudicando o seu descanso.?


“água, fogo, terra, metal e árvore”

Acorde com vitalidade Não oriente a cama para a porta, pois a sua energia escapar-se-à por aí, nem coloque espelhos a incidir sobre a cama, porque reflectem a energia que liberta a dormir, impedindo-a de descansar. Na decoração, opte por materiais de madeira, formas arredondas e cores suaves (mais relaxantes), e evite os equipamentos electrónicos, pois mesmo desligados criam um campo de electricidade estática nocivo para a saúde (ou guarde-os num armário que possa ficar fechado durante a noite).

Fomente o romance

Apesar de, no quarto, ser importante privilegiar um ambiente tranquilo, propício ao descanso, deve ter em atenção pequenos pormenores que fomentem o amor e a paixão entre um casal. Assim, escolha mesas de cabeceira e candeeiros iguais (as diferenças entre marido e mulher já são muitas...), e enfeite o espaço com elementos que sugiram sensualidade, como velas e flores encarnadas (a lógica é a mesma de usar lingerie sexy...)..

Aumente a produtividade Procure sentar-se de frente para a porta e de costas voltadas para uma parede, pois sentir-se-á mais protegida e concentrada e, por conseguinte, mais apta a produzir. E coloque uma planta junto ao computador, para absorver as ondas electromagnéticas libertadas pelo aparelho, e dar vida e movimento ao espaço. O Feng Shui é uma arte milenar. O termo aparece pela primeira vez num texto clássico "O livro do Enterros" de Guo Pu (276-324 AD). No entanto o termo usado para descrever esta arte foi até ao início do século XX, "Kanyu", que sucintamente significa observar o céu e observar a terra. Básicamente a história do Feng Shui pode-se escrever em três partes. A primeira parte é tão antiga quanto o homem no sentido que este desde sempre usou de discernimento no que respeita aos locais que escolhia para habitar. Quando começou a erguer habitações permanentes tinha preocupações básicas tais como alinhar as fachadas para sul, solarengas, nas partes frias da China. E não eram apenas as habitações para os vivos que suscitavam interesse, mas principalmente os locais e cultura de enterros. Esta primeira parte corresponde também ao desenvolvimento dos princípios da metafísica chinesa (desde Fu Hi - 3000 AC) e estão já presentes os dois fatores fundamentais do Feng Shui, Forma (Luan Tou) e Direção (Di Li). No entanto a aplicação dos princípios filosóficos estava muito limitada pela impossibilidade de se medir direção com precisão (as orientações eram medidas através de um pau vertical espetado no chão e medição da respetiva sombra).

A grande revolução e pode-se dizer mesmo a génese do Feng Shui Clássico própriamente dito, dá-se com o aparecimento da primeira bússola, a "luo pan", em data incerta talvez algures na dinastia Tang (por exemplo 700 AD). Foi no fim da dinastia Tang que viveu o primeiro Grande Mestre desta arte, Yang Yung Sun, ao qual é atribuída a criação do anel dos 72 Dragões. Desde cedo se desenvolveram duas escola distintas, a escola San He (Três Harmonias) que dá grande importância às "Formas Exteriores" e a escola San Yuan (Três Períodos) que tem o "Tempo" como vetor fundamental. O Feng Shui clássico viveu num processo de secretismo que perdura até aos dias de hoje. Por isso é práticamente impossível fazer-se uma história precisa dos cálculos......

Universo Divinal

Ainda que pareça super estranho e no mínimo, “esquisito”, funciona SEMPRE.

U D

Universo Divinal